Se você quer mesmo empreender, já deve ter percebido que comprar empresas é muito complicado, uma vez que quem as colocou à venda possui seus motivos, que podem estar ligados à dívidas ou falta de lucro do negócio. Porém, há uma forma simples de conseguir uma solução para este problema antes mesmo que ele apareça: a busca de muita informação de especialistas no assunto, que é o objetivo deste artigo.

Continue a leitura para conhecer:

  • Todas as etapas deste processo;
  • Onde procurar empresas de confiança para comprar;
  • Dicas de especialistas para evitar problemas, garantindo o retorno esperado;
  • A importância de ter uma empresa de intermediação de negócios especializada na compra e venda de empresas acompanhando todo o processo.

COMPRAR EMPRESAS EM FUNCIONAMENTO NO BRASIL, COMO FUNCIONA?

Antes de conhecer as etapas de um processo de compra de empresas no Brasil é importante entender os motivos que levam uma empresa a ser vendida, e esses podem ou não ser um sinal de que esse investimento vai dar certo. Como já é do conhecimento de diversos empreendedores que buscam estudar o mercado em que irão atuar, e conforme divulgado pelo SEBRAE, diversas empresas conseguem se manter no máximo por 2 anos após abertas, fechando as portas ou sendo vendidas posteriormente.

Atingindo principalmente micro e pequenas empresas esse é um dos principais motivos de venda: a falta de planejamento ou capacidade para administrar o negócio, uma vez que uma empresário precisa dessas duas competências para manter sua empresa, e não apenas a vontade de empreender. A falência, nesses casos, é praticamente inevitável, forçando o dono ou os donos a vender sua empresa para outras pessoas.

Outros motivos, apontados por Batista Gigliotti, mestre em administração e especialista em franquias, são:

  • Aposentadoria: mesmo trabalhando com um mercado com o qual se identifiquem, muitos empresários sentem a necessidade de descansar após décadas de trabalho. Por mais doloroso que possa ser passar um negócio para outro empresário, a venda é a saída encontrada para poder usufruir de uma vida mais tranquila com estabilidade financeira;
  • Ruptura no negócio familiar: muitas empresas familiares passam de pai para filho, mas nem sempre a próxima geração tem interesse em administrar o negócio. Logo, a melhor saída para manter o trabalho construído é optar pela venda para alguém que tenha aptidão, e principalmente disposição, para continuar as atividades da empresa;
  • Cansaço: mesmo que não estejam em idade para aposentadoria, há empresários que simplesmente se cansam do segmento em que atuam, sentindo necessidade de buscar algo novo. Portanto, mesmo que a empresa esteja dando lucro, preferem vendê-la a ter que continuar na mesma atividade.

 

Como pode ser notado, nem sempre a questão financeira é o principal motivo de venda, mas de qualquer maneira é muito importante tomar alguns cuidados antes de fazer uma escolha. O primeiro deles, e talvez o mais importante, está relacionado a outro motivo, que levou você a começar a busca por um empreendimento. Você deve ser capaz de responder claramente questões como:

  • Por que vou comprar uma empresa?
  • Tenho dinheiro suficiente para comprá-la e, se preciso, para mantê-la?
  • Possuo as habilidades necessárias para administrar uma empresa e, consequentemente, uma equipe?
  • Com qual tipo de empresa e público eu gostaria de trabalhar?

 

Feito isso, após ter a certeza do tipo de empresa que irá procurar e de que possui as competências necessárias para mantê-la, é hora de responder questões referentes a ela, para ter certeza de que não irá correr nenhum risco. Como previsto no Código Civil Brasileiro, o novo dono ou sócio torna-se responsável por sanar quaisquer problemas em aberto, então, busque descobrir:

  • Se a empresa possui algum débito fiscal;
  • Se está sendo processada por algum motivo;
  • Se possui alguma dívida com funcionários, em relação a férias, por exemplo;
  • Se possui boa relação com seus fornecedores e clientes.

 

Terminada essa etapa, é hora de passar pelo processo da compra em si, que irá depender do tipo de empresa que será comprada. Caso queira comprar uma franquia que já esteja funcionando, por exemplo, não basta simplesmente conversar com o atual franqueado e pedir para assumir o negócio. Segundo Filomena Garcia, especialista que atua há mais de 20 anos na área de franquias, é preciso conversar diretamente com o franqueador e passar por todos os trâmites antes de assumir a unidade.

Outra possibilidade, ao haver interesse por uma franquia específica, é entrar em contato com a marca perguntando se há algum franqueado com necessidade de vender sua unidade, e aqui os trâmites também são necessários, bem como a entrevista para comprovar suas competências em administrar o negócio.

Já no caso da aquisição de outros tipos de empresa, é comum que haja as seguintes etapas:

  • Assinatura do acordo de confidencialidade: tal acordo é utilizado como garantia de que o comprador, no caso você, manterá sigilo em relação a todos os dados e informações da empresa aos quais tiver acesso;
  • Checagem de documentação: nesta etapa, é necessário averiguar tudo que for possível em relação a toda documentação da empresa, desde contratos e carteira de clientes até dados fiscais. Nesse último caso, a ajuda de um bom escritório de contabilidade é fundamental;
  • Contrato de compra e venda de empresas: por fim, e mais importante, é preciso elaborar e assinar o contrato de compra e venda de empresas, onde deve constar exatamente todos os itens que estão sendo transferidos para o novo proprietário. Imóvel, lista de clientes e frota de veículos são alguns dos itens que são passíveis de constar nesta etapa, sendo que no caso de aquisição dos veículos é necessário recorrer ao DETRAN para fazer a devida transferência. É possível também fazer um acordo onde o antigo proprietário continue na empresa por determinado período para ensinar na prática a gestão do negócio para o comprador, e tal acordo deve também ser registrado, caracterizado como Acordo/Emprego Consulta.

 

Vale lembrar que essas são as etapas normalmente adotadas quando se trata de compra e venda de empresas em território nacional. Para comprar empresas no exterior o processo pode ser mais demorado e burocrático, incluindo passos como obtenção de visto, viagens diversas e taxas de conversão para pagamento do negócio adquirido.

Lembramos também que empresas endividadas podem ser compradas tranquilamente, desde que haja dinheiro suficiente para isso. Tal prática, há muito adotada em países como os Estados Unidos, já é uma realidade no Brasil, porém precisa dos cuidados acima e dos que serão citados a seguir para não levarem o comprador a correr riscos.

COMPRAR EMPRESAS COM DÍVIDAS É UM BOM NEGÓCIO?

Desde que se tome o devido cuidado, é possível fazer um bom negócio ao comprar empresas com dívidas, uma vez que cada caso é um caso e, portanto, os preços encontrados variam bastante. No geral, ele será determinado pelo tamanho das dívidas em aberto e da capacidade de negociação dos envolvidos, mas podem envolver também outros fatores.

Batista Gigliotti ressalta outro aspecto importante que você deve ficar atento quando vai comprar empresas, dizendo que independentemente da situação em que se encontre, o vendedor não deve levar em consideração apenas o ponto comercial e dívidas para definir o valor de venda de sua empresa. A carteira de clientes, as parcerias firmadas e o histórico financeiro, que pode ter sido prejudicado por má administração e não necessariamente por falta de vendas, também devem ser colocados no papel e avaliados na hora da compra.

As responsabilidades de adquirir uma empresa nessas condições não são poucas e incluem também responsabilidade pelos custos do quadro de funcionários, por possíveis processos em andamento e pelo pagamento das dívidas fiscais em aberto, que passam a ser do novo dono. Ou seja: além de se preocupar com o futuro da empresa, será preciso estudar também seu passado, com a finalidade de deixar tudo organizado.

Já no caso de adquirir uma franquia que esteja sendo repassada por estar com dificuldades financeiras, os cuidados são ainda maiores, pois, além de se preocupar com as responsabilidades acima citadas, será preciso analisar se de fato valerá a pena, principalmente porque esse tipo de negócio, apesar de ter muitas vantagens, não pertencem totalmente ao franqueado que a adquire. Além do esforço para colocá-la nos eixos, é preciso também uma maior dedicação para mostrar resultados ao franqueador, o que pode não ser um bom negócio para quem está buscando comprar uma empresa visando independência financeira e autonomia.

Embora tenha a vantagem de empreender com uma marca já consolidada e conhecida no mercado, uma franquia possui também algumas desvantagens, entre elas:

  • Falta de autonomia, uma vez que o franqueado deve se reportar à franqueadora sempre que quiser alterar algo no ponto de venda ou colocar novas ideias em prática;
  • Não ter a possibilidade de obter 100% do lucro gerado, uma vez que uma parte do faturamento deve ser repassada como royalty, na maioria dos casos, e outra destinada a ações promocionais.

 

Logo, comprar empresas com dívidas ou que estejam passando por qualquer outro tipo de dificuldade pode ser um bom negócio, desde que o empreendedor tenha não só o dinheiro necessário para compra e pagamento dos valores que a empresa deve, mas também a visão necessária para se manter no mercado.

Aqui, mesmo no caso das franquias, é essencial manter um escritório de contabilidade de confiança e uma empresa de intermediação de negócios para te acompanhar em todo processo de compra e evitar diversos tipos de problemas que empresários têm quando não há consultores especializados presentes intermediando o processo.

ONDE ENCONTRAR EMPRESAS PARA COMPRAR?

Agora que você está ciente dos riscos que podem existir, é hora de procurar uma empresa que atenda às suas necessidades e esteja à venda. Encontrar a empresa ideal, porém, pode não ser tão simples, por isso nesse tópico daremos algumas dicas de onde procurar e como obter auxílio para fazer um bom negócio.

Uma forma simples de encontrar empresas para comprar pode ser através de classificados diversos, sendo eles impressos ou não. Porém, com o passar do tempo, aumentaram o número de sites especializados em comercializar tais empresas, muitas vezes unindo comprador e vendedor de forma rápida. Entre as informações que tais sites disponibilizam estão:

  • Tipo de empresa que está à venda, citando ou não seu nome;
  • Valor de venda;
  • Localidade;
  • Valor do faturamento anual, para consideração do comprador.

 

Para facilitar ainda mais, é comum encontrar filtros onde é possível buscar empresas que estejam em determinada localidade e dentro de determinado valor, sem ter que procurar entre todas as opções de uma mesma categoria. Vale reforçar que você deve ter sempre uma consultoria de intermediação de negócios especialista em compra e venda de empresas te acompanhando em todo processo de aquisição.

Entre os serviços que essas consultorias oferecem estão:

  • Avaliação correta da empresa escolhida com base em sua administração e potencial de lucro futuro;
  • Elaboração do acordo de confidencialidade;
  • Agendamento de visitas para conhecer a empresa e sua operação;
  • Elaboração de minuta do contrato que deve ser assinado entre as partes;
  • Identificação de oportunidades;
  • Auxílio em todo o processo de negociação.

 

Tais empresas, além de prestarem consultoria, também apresentam diversos negócios a venda, podendo ou não ser condizentes com o valor disponível que você tem para investir. Portanto, tente sempre iniciar sua busca visitando sites das consultorias especializadas, que informam em seus sites diversos tipos de negócios à venda. Caso não encontre o negócio ideal nos sites das consultorias, você também pode procurar em classificados de negócios, onde é possível negociar diretamente com o vendedor, mas vale ressaltar que é neste tipo de negociação direta que surgem os maiores problemas, então tente sempre encontrar uma consultoria de intermediação de negócios para te orientar no processo de compra.

Independente do tipo de busca adotado, você encontrará empresas de diversos segmentos à venda. Logo, elas podem ser de cunho comercial, industrial ou de serviços, e podem ter também marca própria ou ser uma franquia.

Além desses, é possível encontrar ainda anúncios de venda de hospitais, hotéis, indústrias farmacêuticas, lojas de bijouteria, bares e muitos outros. Na hora de comprar, não esqueça que além do dinheiro investido na compra, você pode precisar de um dinheiro extra para colocar a empresa no caminho do crescimento. Outra dica importante é analisar o motivo de venda da empresa que você está analisando.

RESUMINDO: COMO COMPRAR UMA EMPRESA?

Então, agora que você já conhece o processo para comprar uma empresa e os riscos que podem existir, vamos relembrar as dicas citadas desde o início do artigo e acrescentar outras fornecidas por especialistas no assunto. Confira cada uma delas para evitar problemas e  certificar-se de que é um bom momento para esse investimento.

Certifique-se de ter os parceiros certos para te ajudar no processo:

Esse é o ponto mais importante da compra e venda de empresas. A presença de uma consultoria de intermediação de negócios especializada e de um bom escritório de contabilidade é sempre indicada, para que você pague o valor correto na empresa que vai adquirir, tenha uma noção mais palpável das vantagens do negócio e possa evitar problemas após a compra.

Tenha o dinheiro necessário para o investimento:

É importante se atentar ao valor que você possui para investir, se certificando de que ele será suficiente para realizar a compra. Mas esse não é o único momento em que seu dinheiro pode ser necessário, pois podem surgir imprevistos ao longo do caminho. Portanto, tenha uma quantia suficiente para se manter sem precisar retirar dinheiro da empresa, usando o mesmo somente quando o lucro de fato surgir. Caso precise recorrer a um empréstimo, certifique-se de que as parcelas poderão ser pagas tranquilamente com o valor levantado mensalmente com as vendas realizadas.

Compre algo que seja bom em diversos aspectos:

Ao procurar uma empresa para comprar, é comum que os empreendedores se deixem levar pelo lucro que poderá ser obtido, mas olhar somente esse ponto pode causar decepções futuras e até mesmo levar a uma nova venda. Busque considerar outros aspectos, como a localização, o público atendido e principalmente o produto ou serviço que é oferecido, de modo que você possa se sentir orgulhoso e realizado com a compra feita. Afinal, vale lembrar que todas as empresas passam por dificuldades de tempos em tempos, e se você pensar só no lucro e não fizer algo que gosta, sua motivação e gestão do negócio podem ser prejudicadas nesses momentos difíceis.

Fique atento ao contrato de locação e às licenças de funcionamento do local:

Um problema que não é raro em negócios locais quando são vendidos está relacionado às licenças do local onde a empresa funciona. Se for comprar um restaurante, por exemplo, ou algum negócio onde o ponto comercial ou a estrutura da empresa é importante, fique atento à validade do contrato de locação, pois a localização em alguns tipos de negócio fazem toda diferença no faturamento. Veja também todas as outras licenças, porque a falta de alguma delas pode gerar um custo para você e diminuir o preço da empresa à ser comprada.

Não tome essa decisão sozinho:

Principalmente se for envolver sua família no negócio de alguma forma ou empreender com o objetivo de que ela tenha uma vida mais independente e confortável, informe-a da sua intenção e passe algumas informações. Deixe claro seu objetivo, bem como o valor que será necessário para investir e se vai precisar de ajuda. Além disso, peça para analisarem a ideia pois eles podem encontrar pontos e ter sugestões de inovação que você não pensou.

Converse com outros empreendedores:

Ao decidir pelo menos o segmento em que irá atuar, busque conversar com empreendedores que já estão nele há algum tempo, sejam franqueados ou não. Isso te ajudará a entender melhor o mercado, suas oportunidades e dificuldades, desde que encontre pessoas realmente dispostas a colaborar com você.

Se o negócio que você estiver comprando for local, por exemplo, você pode pedir essas dicas para um empresário que atue em um bairro que fique longe de onde você vai atuar. Uma outra ideia que pode ser interessante para conseguir essas informações é pagar por elas, oferecendo uma quantia para conversar com o empresário (ou alguém que já atuou naquele ramo) e pegar um pouco de sua experiência. Essa sugestão de trocar ideias com outros empresários do setor para discutir melhorias para todo o mercado é conhecida como MasterMind e ainda é pouco adotada no Brasil, mas não custa tentar.

Vale ressaltar que caso não consiga falar com outros empresários e saber valores dos seus negócios, pelo menos você pode visitar concorrentes como se fosse um cliente para identificar o movimento de pessoas, como são feitas as vendas e como funciona a operação da empresa. Todos os detalhes que você conseguir observar são importantes para você ver o que funciona, o que pode ser melhorado e como você pode inovar. E por falar de inovação, vamos fazer um artigo especial sobre a importância de errar de forma rápida e barata, então siga nossa newsletter e tenha acesso a esse e outros conteúdos assim que forem publicados.

Não deixe de fazer uma visita ao local:

Mesmo com empresas intermediando a operação, busque estar presente quantas vezes for possível. Caso pretenda adquirir uma loja em operação, por exemplo, e já souber sua localidade, não espere o agendamento de uma visita: vá ao local como se fosse um cliente comum e fique algum tempo por lá, observando o movimento, o comportamento dos funcionários e todas as características que julgar necessárias. Ao fazer a visita com o comprador ou intermediador, principalmente em casos de fábricas, não deixe de observar as condições das máquinas e equipamentos.

Converse com o vendedor:

Assim que possível, marque uma conversa somente entre você e o vendedor da empresa, com o objetivo de conhecê-lo melhor e entender por que ele está se desfazendo do negócio. Dessa forma ele também poderá te observar com mais cuidado, explicar seus motivos e avaliar se de fato você possui perfil para se tornar o novo dono.

Conheça os números da empresa:

Ao decidir qual empresa gostaria de comprar, busque conhecer o seu faturamento bruto para ter uma base de qual será seu lucro. Os especialistas do mercado dizem que uma boa taxa de lucro deve girar entre 10 e 20% do valor de uma venda bruta.

Tente oferecer um valor menor:

Mesmo tendo o valor pedido pelo proprietário da empresa que você deseja comprar, busque oferecer um valor menor de compra para, quem sabe, conseguir economizar. Mas tome muito cuidado para não oferecer algo muito abaixo do colocado pelo atual dono, para não passar a ideia de desespero e, principalmente, de desrespeito, uma vez que a empresa até então é dele e pode possuir também um valor sentimental em jogo.

Tente um parcelamento:

O interesse do vendedor obviamente é receber o valor total que colocou na venda, então, caso sinta que pode não ser uma boa ideia fazer o pagamento a vista, tente convencê-lo a parcelar uma parte. Dessa forma vocês dois saem ganhando, uma vez que a parte financiada pode ser paga com o lucro da empresa ao longo dos meses.

Faça acordos:

Sempre com a ajuda de uma empresa de intermediação de negócios, tente sempre estabelecer acordos em relação a possíveis custos e riscos que o você pode ter, com garantias como:

  • A entrega dos equipamentos em boas condições ou a dedução do valor dos reparos na venda;
  • A separação de uma porcentagem destinada para reparos gerais, que deve ser paga como valor integral somente se toda a estrutura estiver em dia;
  • O vendedor não poderá abrir concorrência na mesma região por determinado período.

Além disso, é importante solicitar que haja também um período de treinamento enquanto ocorre a transição, tanto para você se familiarizar com o negócio quanto para os funcionários, clientes e fornecedores se acostumarem com a nova chefia.

Nosso objetivo com esse artigo é mostrar que é possível comprar empresas sem ter dor de cabeça, desde que os cuidados certos sejam tomados e você tenha  sempre uma consultoria de intermediação de negócios especializada, junto à um bom escritório de contabilidade, para te acompanhar em todo processo.

Ficou alguma dúvida sobre compra de empresas? Coloque nos comentários que respondemos diretamente no seu email.