(11) 2065-8200

Já abordamos aqui no Blog os vários aspectos que envolvem o controle das finanças de uma empresa, incluindo os principais conceitos e os erros mais comuns.

Hoje vamos mostrar um passo a passo para uma gestão financeira eficiente.

Esse é um trabalho muito importante, para garantir a saúde de suas operações, mantendo-as em pleno funcionamento e te ajudando a:

  • Prever receitas e despesas;
  • Fazer projeções futuras;
  • Apontar o melhor momento para novos projetos;
  • Planejar quedas de fluxo de caixa.

Além disso, essas dicas vão permitir o monitoramento financeiro, para avaliar o progresso de sua organização, identificando e corrigindo eventuais problemas.

Acompanhe, então, as 7 etapas, para ter uma gestão financeira eficiente e tenha bons resultados.

1. Faça um bom planejamento financeiro

O planejamento financeiro tem como objetivo definir claramente quais as metas de sua empresa. Mesmo que você já possua um plano elaborado, vale a pena revisá-lo, considerando o momento atual do mercado.

Aliás, essa revisão deve ser periódica, especialmente quando acontecimentos impactantes, como a ocorrência da pandemia provocada pelo novo coronavírus, acontecem. Procure avaliar e definir: metas, planos operacionais, prazos, projetos, investimento necessário, etc.

Com um planejamento, é possível ter uma visão ampla e estratégica do negócio, podendo identificar erros e oportunidades, bem como adotar medidas, para garantir uma gestão financeira eficiente. Permite, ainda, realizar investimentos, sem comprometer o orçamento organizacional

Contudo, lembre-se de trabalhar com metas realistas, definindo estratégias para atingi-las, bem como o modo como serão medidos os resultados.

Por fim, considere as características e realidades de seu negócio, para tomar decisões mais conscientes e responsáveis com todos os gastos.

2. Dê atenção ao fluxo de caixa para ter uma gestão financeira eficiente

Gestão financeira eficiente requer controle do fluxo de caixa, processo que permite verificar todas as entradas e saídas de um período específico.

Sem essas informações não é possível identificar o valor total das dívidas, nem tampouco controlar, para que elas não ultrapassem as receitas. Também se torna impossível saber o quanto uma empresa tem disponível para novos investimentos.

O fluxo de caixa atualizado e bem elaborado, em contrapartida, permite gerar relatórios com informações precisas, que auxiliarão na tomada de decisões organizacionais.

3. Tenha um orçamento e define prioridades

Esse documento permite uma visão geral do negócio.Para sua elaboração nomeie e classifique as receitas e despesas de cada setor de sua empresa.

Com esses registros de todas as entradas e saídas, haverá maior previsibilidade e será possível estabelecer as prioridades da empresa. Investir na aquisição de uma máquina que vai acelerar a produção é prioritário. Já trocar os móveis da sala de reunião, pode esperar um pouco mais.

4. Analise os custos e despesas

O que é essencial para seu negócio fluir bem e gerar lucros? O que pode ser cortado sem interferir na qualidade de produtos ou serviços?

Substituir os serviços de um bom provedor de site por outro mais barato, mas que trava ou deixa a navegação lenta, por exemplo, não é uma economia inteligente.

Neste item, para a gestão financeira eficiente é imprescindível um olhar atento, para ter certeza de que cada centavo investido está oferecendo bons retornos ao seu negócio.

Você poderá se surpreender com a quantidade de economia gerada com essa análise!

5. Gestão Financeira eficiente requer capital de giro bem dimensionado

O primeiro passo, nesse sentido, é saber qual a quantidade ideal que é preciso ter no caixa de sua empresa, para garantir o seu correto funcionamento.

Aqui, entra a fórmula chamada de Necessidade de Capital de Giro:

NGC = Ativo Circulante Operacional – Passivo Circulante Operacional

Um resultado positivo significa que a empresa está no caminho certo para uma gestão financeira eficiente. Se for negativo, porém, mostra que as contas a pagar estão acima dos ativos disponíveis pela companhia, ou seja, será preciso recorrer a financiamentos.

6. Adote indicadores de desempenho

Os chamados KPIs são ferramentas essenciais para analisar a performance de um negócio em vários aspectos, incluindo as finanças.

Entre os mais adotados, para obter uma gestão financeira eficiente, destacamos:

  1. Faturamento: a soma de todos os valores obtidos com as vendas;
  2. Lucro líquido: resultado obtido com o abatimento dos custos fixos e variáveis do valor total da receita;
  3. Margem de Contribuição: o valor que sobra após pagar o custo variável de produção, impostos e comissões, sendo o ganho bruto sobre as vendas;
  4. Margem de Lucro: porcentagem  adicionada aos custos totais, de um produto ou serviço, formando o preço final da comercialização e definindo a porcentagem de lucro que a empresa terá em cima daquela venda.

7. Elabore relatórios de diagnóstico financeiro – e estude-os!

Com o devido apoio contábil, elabore relatórios financeiros que permitam uma visão detalhada e atualizada de saúde econômica da sua empresa.

Além de balanço patrimonial analise: relatórios de fluxo de caixa; pagamentos e recebimento; Demonstrativo de Resultado de Exercício (DRE), etc.

Quanto mais dados você tiver para analisar, maiores serão as chances de decisões assertivas e de uma gestão financeira eficiente.

A essas dicas para gestão financeira eficiente devem ser somados um bom controle de estoque, o apoio de uma empresa especializada em contabilidade e finanças, bem como o uso de ferramentas tecnológicas que tornem  todo o processo financeiro mais ágil, confiável e atualizado em tempo real.

Com a tecnologia e os profissionais certos, fica bem mais simples garantir a gestão financeira eficiente que sua empresa precisa, para enfrentar os desafios do mercado, mantendo-se estável e projetando seu crescimento contínuo.

Quer falar mais sobre o assunto? Consulte nossos contadores!

  Fale no WhatsApp